Informação revelada em reportagem nesta edição sobre a ocupação de vagas oferecidas pelo Sine em Goiás em 2019 merece reflexão. Mesmo com o País em crise econômica, com alto índice de desemprego, foi surpreendente o número de postos de trabalho que permaneceram vagos. Das 23,8 mil vagas ofertadas, apenas 6,9 mil foram ocupadas, o que corresponde a 29% do total. O fenômeno pode ser explicado por uma conjunção de fatores, com peso maior para a falta de qualificação de trabalhadores, problema crônico que persiste no País e no Estado.

A reportagem mostra também que muitos que buscam um emprego acabam optando pela informalidade, considerando a liberdade de carga horária e a possibilidade de acumular funções em busca de maior rendimento. Com mais de 12 milhões de desempregados no Brasil e recorde de informalidade, a qualificação ganha ainda maior importância para garantir empregos dignos e com direitos assegurados. A educação de qualidade tem papel fundamental nesse processo, assegurando a capacitação adequada em um cenário de vagas escassas. Só assim será possível reconquistar o motor vital da produtividade e consumo, girando a economia e estimulando o desenvolvimento.