A primeira experiência de Lucas Manga no consultório médico, assim como a de muitos, não foi a ideal. “Fui infectado numa relação não consensual. Aconteceu em um sábado e na segunda-feira eu já estava me consultando”, lembra ele. “Já tinha conhecimento do que era a PrEP e falei com todas as letras que queria fazer. Estava em uma situação de vulnerabilidade muito grande e disse a...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários