O empoderamento feminino é uma ferramenta importante na inclusão das mulheres em diferentes espaços na sociedade, incluindo o mercado de trabalho. E isso não é diferente quando falamos sobre mulheres no empreendedorismo. Um relatório produzido pelo Sebrae apontou que, no geral, existem mais de 49 milhões de empreendedores no Brasil. O número deu um salto por causa da crise econômica, que fez as pessoas procurarem alternativas de renda.

Já um estudo feito pela Rede Mulher Empreendedora entre julho e agosto de 2016 aponta que 75% das empreendedoras decidem empreender após a maternidade. Isso porque, além de sofrerem um certo preconceito no mercado de trabalho formal, as recém-mães conseguem ter mais liberdade e flexibilidade de horários para se adaptarem ao trabalho e à rotina com as crianças.

E falando em filhos e casa, nada mais conexo do que um trabalho home office. Dessa forma, o trabalho online é um dos mais pensados quando o assunto é comodidade e independência profissional, sejam atividades com produtos ou serviços, vendas e confecção de artesanato, atendimento de salão em casa, culinária etc. 

Segundo Jimena Tomás, gerente de marketing do Google Brasil, cada vez mais é possível ver mulheres empreendendo. “Para as que optaram pela maternidade, o empreendedorismo pode ser visto como solução para continuarem trabalhando. A gente já vê muito isso e é muito bacana, pois elas se tornam donas do seu próprio tempo. Isso é muito importante. As mulheres são a maioria no Brasil, mas ainda contribuímos muito pouco para o PIB. E o que a gente quer é igualar o jogo. Esse é um caminho”, diz. 

Claro que empreender não é fácil e o percurso é cheio de desafios. “Falando das mulheres, elas encaram desafios muito únicos, independentemente de o negócio ser off ou on. O networking, por exemplo, costuma não ser algo que acontece de forma natural para elas, assim como algumas técnicas de vendas. Isso porque, mesmo sendo muito comunicativas, culturalmente ainda somos ensinadas a nem sempre tomar a frente, ficar no backstate. A internet veio para ajudar a desenvolver isso e naturalizar.”

Quando o assunto é empreendedorismo digital, há uma série de ferramentas gratuitas que podem ajudar desde o começo até quando o negócio já se tornou um sucesso. “Aqui eu posso citar o Google Meu Negócio, por exemplo, que possibilita que empresas possam gerenciar sua presença online no Google, como na busca e no Google Maps. A empreendedora cadastra informações como endereço, telefone e horário de funcionamento de forma rápida e simples, deixando essas informações facilmente acessíveis a potenciais consumidores. Além disso, o Google Meu Negócio permite a interação entre empresa e cliente, já que é possível responder a perguntas e comentários. A ferramenta, também, permite a criação de um site totalmente gratuito”, conta a especialista. 

Outra plataforma gratuita que é indicada e pode ajudar muito no desenvolvimento do empreendedorismo digital é o YouTube. “É uma janela para uma audiência mundial, que ajuda a criar presença online. Podemos falar ainda de plataformas de anúncios, que vai ajudar em uma nova audiência, não só com aqueles clientes que já procuram o seu serviço.” 

Promovendo 

Pesquisas apontam que três a cada dez negócios de mulheres são a única renda de toda a família. Sendo assim, faz-se preciso fomentar o empreendedorismo digital feminino. “É essencial fomentar, ajudar, comprar de, e apoiar essas mulheres. Elas devem buscar sim soluções digitais a fim de igualar as oportunidades. Além disso, a gente acredita muito no poder do networking e não tem nada mais poderoso do que mulheres ajudando mulheres.”

Como dicas, Jimena afirma que é importante se arriscar e não deixar de se habilitar. “Não tenha medo de testar. Muitas mulheres que têm o sonho de empreender buscam a perfeição. Mas assim a gente fica tanto tempo planejando que não faz. Se você tem uma ideia, comece o mínimo produto viável, faça testes, fale com os clientes, use formulários de pesquisa. Se funcionar, você vai crescendo e aperfeiçoando aos poucos. E nunca deixe de se capacitar. Busque materiais, treinamentos gratuitos, cursos online. Podemos enfrentar desafios maiores, mas por outros lados, sempre conseguimos buscar conhecimento, algo que não podem nos tirar”, finaliza. 

Cresça com o Google

O Cresça com o Google, iniciativa que oferece treinamentos gratuitos e ferramentas para capacitação de pessoas e empresas em habilidades digitais, chega a Goiânia nos dias 3 e 4 de setembro, no Centro de Convenções de Goiânia.

No dia 3, os goianos terão uma sessão de marketing digital, das 9h às 12h. No período da tarde (14h30 às 17h), o foco será os desenvolvedores e os professores receberão o treinamento das 19h às 22h. No dia seguinte (4), a programação tem início às 9h, com o curso de Liderança e Empreendedorismo Digital para Mulheres. Às 14h30, os jornalistas receberão informações sobre como usar as ferramentas do Google no dia a dia da redação e, à noite, será ministrada mais uma sessão do treinamento em marketing digital. O curso será realizado das 19h às 22h.

O Cresça com o Google tem como objetivo ajudar profissionais e estudantes a acessarem o melhor conteúdo e ferramentas do Google para aprimorarem suas habilidades, carreiras e negócio, auxiliando o público a se manter atualizado e preparado para o mercado de trabalho ou para buscar por uma colocação profissional. Em 2018, o projeto esteve em seis cidades e capacitou mais de 45 mil pessoas. Para este ano, além de Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife e depois de já ter passado por Brasília, a próxima cidade contemplada será o Rio de Janeiro.