Uma das mais recentes paixões dos amantes de skincare, os óleos vegetais são extraídos de plantas provenientes da natureza, oferecendo uma opção de nutrição natural, artesanal e livre de substância nocivas à saúde. “Com funções distintas, a substância pode ser usada pura ou misturada com outros produtos que já estão dentro da rotina de cuidados diários como hidratantes, séruns e até condicionadores”, conta o dermatologista Alberto Cordeiro.

Apesar de ser de uso comum, a diferença entre os óleos vegetais e sintéticos ainda gera dúvidas entre os consumidores que buscam por produtos eficientes e de qualidade. Por conta disso, o médico listou os principais mitos e verdades sobre o assunto. Confira. 

1. Os óleos vegetais são biocompatíveis com a pele. 

VERDADE. Por serem extraídos da natureza, os óleos vegetais possuem maior compatibilidade com o organismo e apresentam uma absorção espontânea sem riscos de alergias ou rejeições que podem ocorrer com o uso de óleos sintéticos.

2. Não existe diferença entre óleos vegetais orgânicos e não orgânicos.

MITO. O ideal é que os óleos vegetais sejam orgânicos, isso é, que esses vegetais originários não tenham sido submetidos a agrotóxicos ou substâncias disruptoras. “Dessa forma, é mais certo que é um óleo de qualidade, que vêm de boa procedência, sendo livre de conservantes e corantes prejudiciais”, comenta o especialista. 

3. O uso de óleos não é recomendado para cuidados de peles oleosas.

MITO. Apesar do veículo parecer oleoso, sua utilização é benéfica para todos os tipos de pele e não aumenta a produção de sebo, seja no rosto, corpo ou fios capilares. “Basta entender se o tipo de óleo facial escolhido é específico para o seu tipo de pele. O óleo que você vai colocar na pele é apenas um veículo para o carregamento de algumas substâncias. Já a oleosidade tem a ver com a quantidade de produção de sebo a partir da glândula sebácea”, complementa. Assim, não é o óleo que vai deixar a pele mais oleosa, mas sim a substância que está dentro dele.

4. Os óleos podem ser utilizados em qualquer momento do dia.

VERDADE. O uso é melhor à noite, já que é quando se utiliza substâncias para tratar a pele. Mas você pode utilizá-lo durante o dia, sem problemas. Entretanto, é preciso pensar que ao aplicá-lo você terá que espera-lo secar e passar o protetor solar por cima, pois não existe óleo com propriedade de proteção solar. 

5. Não há uma maneira correta de aplicar o produto na face.

MITO. O recomendado são quatro gotas que já se mostram suficientes. “Uma gota em cada bochecha, uma no queixo e uma na fronte testa, espalhando para o resto do rosto”, finaliza o especialista.

Feira de beleza 

Para ajudar na escolha do óleo certo, selecionamos alguns cosméticos orgânicos, veganos, naturais, cruelty-free e sem gênero. Confira abaixo:

Óleo de Rosa Mosqueta 

Possui alto teor de ácidos graxos que garantem a sua ação antioxidante e regeneradora da pele. Além disso, é ótimo para cuidar de estrias e cicatrizes em geral.

BBA Simple Organic 

Feito com complexo de óleo de pracaxi, o produto é responsável pelo aumento de colágeno que garante efeito firmador. Ainda combate machinhas de melasma.

Óleo de Copaíba 

Possui ação cicatrizante, anti-inflamatória e regenerativa. Pode ser usado também para combate da acne e é um ótimo relaxante muscular.

Óleo de Andiroba 

Possui ação anti-inflamatória. Promove a regeneração da pele para peles sensíveis e é um repelente natural contra insetos.

Óleo de Patauá

Para pele, cabelos, barba e bigode. A sua propriedade antioxidante mantém a pele com aspecto jovem. Atua também como tônico capilar, diminuindo a queda dos fios e aumentando o brilho e hidratação dos cabelos e pelos. 

Facial Serum Simple Organic 

É composto pelos óleos de coco, semente de girassol, semente de babaçu e açaí. Combate o envelhecimento e o ressecamento da pele. Possui propriedades anti-inflamatórias que previnem a acne.