Não é de hoje que a Teologia é uma ciência que influencia grandemente nas transformações sociais. Apesar de a “Teologia” ter sido reconhecida pelo Ministério da Educação, no ano de 1999, suas reflexões perpassam a história escrita e chegam à própria gênese da humanidade. Foi ela que inaugurou a concepção formal de Universidade, sendo o primeiro curso a ser oferecido na primeira Universidade da história, a Universidade Bolonha, construída no ano de 1088.

A Teologia está para além dos padrões formais da educação, podendo ser encontrada nas mais antigas sociedades tribais, em que se visualizava a compreensão dos fenômenos naturais pelo viés do sagrado. Neste cenário, já havia um amalgamento entre o sagrado e a ciência, mostrando que na realidade esses dois elementos sempre andaram juntos. Também esteve no centro dos grandes debates filosóficos pré-socráticos e pelos filósofos clássicos, na busca da subjetividade, da origem e do fim de todas as coisas.

O fato é que a Teologia, ao ser associada às comunidades eclesiásticas, passou a ser compreendida por meio de um viés prático, daí o surgimento do “Bacharelado em Teologia”, percepção essa criada no ceio das comunidades religiosas e que resistiu às intempéries acadêmicas, visto que foi rejeitada como ciência séria. Mas essa rejeição foi ignorada pela própria Teologia, que se manteve com seus debates e suas produções no espaço eclesiástico. Espaço este que acabou inserindo, nos debates teológicos, os elementos litúrgicos, ritualísticos e administrativos.

Porém, se observarmos a trajetória da Teologia, poderemos perceber que ela sempre esteve voltada à pesquisa e ao ensino, seja por meio do sacerdote tribal, que orientava a tribo, seja na filosofia, que indagava e arguia sobre o sagrado e, principalmente, nas estruturas eclesiásticas que, ao estabelecer a sua prédica, e orientar a comunidade de fiéis, exerce, estritamente, o ato de ensinar, que é precedido pelo estudo e pela pesquisa. A Teologia, em sua essência, sempre esteve associada à Licenciatura, pois qual é o principal papel do sacerdote? Qual a função social da Religião?

Essas perguntas revelam o anseio da sociedade sobre a religiosidade, porém, como o sociólogo Zygmunt Bauman revela em sua obra “Modernidade Liquida”, a religião perde sua finalidade originária, por se render às perspectivas líquidas de consumo. Compreendemos que essa perda identitária se dá pela diluição plural da subjetividade das lideranças religiosas, promovendo na contemporaneidade uma confusão da fé, que não assume uma identidade e se curva às individualidades.

A Teologia como Licenciatura retoma sua prerrogativa primária: pesquisar, observar, analisar e ensinar. Somente o ensino é capaz de nos guiar a uma sociedade tolerante, paciente, respeitosa e humana, padrões almejados por um Licenciado em Teologia.

Esse é um dos diferenciais promovido pela Centro Universitário Araguaia - UniAraguaia, que busca em seu curso de Licenciatura em Teologia, retornar os elementos Teológicos às suas origens, com a perspectiva de gerar profissionais que vão além das atividades eclesiais.

Por Dr. Douglas Oliveira dos Santos
Historiador e Teólogo
Mestre e Doutor em Ciências da Religião
Coordenador dos cursos de Licenciatura em Teologia, História e Geografia da UniAraguaia