O técnico Marcelo Cabo explicou, em coletiva após a conquista do título do Campeonato Goiano, que a vontade de ajudar na reestruturação do Vasco foi um dos fatores que pesaram em sua decisão de deixar o Atlético-GO. O treinador deixa a equipe goiana após a conquista do bicampeonato estadual, levando o Dragão à Sul-Americana e com a melhor campanha do clube na história da Série A.

“O desafio é de comandar um clube que vai passar por uma reestruturação. Dirigir o Vasco da Gama é sonho de todo treinador. É um gigante mundial. O clube vai passar por uma reestruturação, me sinto lisonjeado e com orgulho grande. Vou arregaçar as mangas para trazer alegria para o torcedor do Vasco da Gama como trouxe para o Atlético”, contou o treinador, que chegou a jogar futsal pelo time carioca quando era adoslescente.

Marcelo Cabo explicou que se fosse tomar a decisão de deixar o Atlético “com o coração” não iria sair do clube goiano. Ele avaliou que o desafio de comandar o Vasco será grande, mas que deixa o Dragão contente por ter conquistado o título do Goianão 2020. Era um desejo do técnico ser campeão Estadual pelo time atleticano.

“Fui convidado por um grande time do futebol brasileiro, da minha cidade. São 12 anos longe da minha cidade. Seria confortável eu ficar no Atlético, mas tudo foi feito com bastante integridade e colocação. Conversei com o presidente (Adson Batista) por algumas horas. Coloquei pra ele as minhas razões, ele entendeu. Eu saio no final da temporada, prometi que não sairia no meio e tive convites para sair”, salientou Marcelo Cabo, que pediu desculpas à torcida. “Se alguém se chateou com a minha notícia, eu peço desculpas”. 

O treinador prevê que com o trabalho feito pelo presidente Adson Batista, o Atlético conseguirá passar bem pela transição que terá na troca de treinadores. “Tenho certeza que o treinador que chegar no Atlético vai pegar um trabalho bem encaminhado. Como peguei com o (Vagner) Mancini e com o Eduardo (Souza), o treinador que chegar vai pegar um trabalho bem encaminhado. Clube que dá estrutura de trabalho, que vai se preparar para a temporada 2021. Fico feliz de deixar o Atlético bem. Tenho certeza que o Adson vai tomar as melhores decisões para o Atlético”, opinou.

No Vasco, Marcelo Cabo disputará em 2021 a Série B, o Campeonato Carioca e a Copa do Brasil. Ele revelou que irá analisar o elenco cruzmaltino, e até brincou que gostaria de levar jogadores do Atlético-GO para o novo clube.

“Com certeza, teria muita vontade (de contratar algum jogador do Atlético-GO). Mas qualquer tomada de decisão eu vou conversar com o Adson. Quando recebi a proposta, a primeira pessoa que procurei foi ele. Até antes da minha família. É o respeito que eu tenho por ele, e sei que ele tem por mim. Aqui tem jogadores com potencial, mas preciso conversar com o Adson. Também tenho que analisar o elenco do Vasco, para ver o que será necessário de contratação”, explicou.

Confira outros trechos da coletiva do técnico Marcelo Cabo em sua despedida do Atlético:
Voltar ao Atlético

Um dia vou voltar para o Dragão, como já tive esse desejo uma vez. Voltei para conquistar um título estadual. 

Acerto com o Vasco
Me sinto lisonjeado. Quando saí do Olaria, tinha a meta profissional de voltar para o Rio de Janeiro e comandar um time grande. Minha gratidão com o Atlético é eterna. A minha vida é feita de desafios, porque acredito na reestruturação do Vasco. Eu abracei o Vasco, escolhi mais o Vasco do que ele me escolheu.

Atlético-GO para 2021
O Atlético vai ter uma pequena reformulação, mas o Adson tem se esforçado para manter a base. Renovou com alguns jogadores. Tenho a convicção que o Atlético será mais forte em 2021 do que foi em 2020.

Campeão goiano
É muita alegria participar desse momento histórico do Atlético. Sempre tive o sonho de voltar ao Atlético e conquistar esse título. Tenho que dedicar primeiramente a Deus, ao Adson, Jovair e nossa torcida. Hoje a festa não foi completa porque a torcida não estava aqui (Estádio Antônio Accioly), imagino aqui com 14 mil pessoas, festa no alambrado, mas tenho certeza que estão comemorando em casa com segurança.

Relação com Adson Batista
Quando o Adson me convidou eu tive convicção que faríamos sucesso. O Atlético é um time organizado, que cresce cada vez mais. Entre eu e o Adson temos uma sinergia grande. Eu tinha vontade de conquistar esse título, me faltava esse título estadual. Fico feliz com esses 4 meses de trabalho. O Adson deixou de ser meu presidente e é meu irmão. Me dá conselho para a vida. É muito bom conquistar irmãos na vida.