Tradição desde a 1ª edição da Caminhada Ecológica, em 1992, a Associação Campo da Paz novamente foi até a Rodovia GO-164 para receber os atletas que fizeram percurso, nesta quinta-feira, da Cidade de Goiás até Faina, com 70 km – 42km de manhã e 28km à tarde – e 10 horas na estrada. Mas, para amenizar os rigores, as dores do dia, o cansaço, a fadiga muscular, os componentes da Associação Campo da Paz prepararam sucos de acerola, cajuzinho e cagaita. Cerrado em evidência, já que a área da entidade é de preservação ambiental, com zelo especial ao Córrego do Cotovelo e da serra ao redor.

Foram recepcionados pela presidente da entidade, Vera Maria Costa de Andrade, por crianças, jovens e a família dos atleta Adenir José de Santana, que é natural de Faina mas mora hoje em Goianira. “Para nós, é uma alegria estar aqui, recebê-los, vê-los seguir rumo ao Rio Araguaia. É um projeto belo, de defesa da natureza, assim como nós acreditamos e queremos estar juntos nos próximos anos”, frisou Vera Andrade.

A proximidade entre a Caminhada Ecológica e a Associação Campo da Paz não se resume só na recepção aos atletas na estrada. É na sede da entidade que eles e equipes de apoio pernoitam nesta quinta-feira, com jantar e, sexta-feira cedo, café da manhã antes de os 29 atletas seguirem rumo a Araguapaz, para o penúltimo dia do evento. Depois de 40km, até o Ribeirão do Cavalo Queimado, eles voltam ao Campo da Paz para almoço e descanso, até deixarem o local para mais 18ikm, até Araguapaz. No Campo da Paz, é possível desfrutar de galpão para dormir em treliches, cozinha industrial, gramado, auditório e cachoeiras nas redondezas, um dos hábitos que os atletas gostam de curtir.