Decretos elaborados pelas prefeituras de Goiânia e da Região Metropolitana fecham igrejas, templos ou qualquer atividade de caráter religioso por 7 dias, a partir da próxima segunda-feira (1). Segundo o documento, apenas serão liberados atendimentos individuais e por agendamento, caso haja necessidade.

O texto foi divulgado neste sábado (27), durante coletiva de imprensa com o governador Ronaldo Caiado, e os secretários de Saúde do Estado e de Goiânia. As novas medidas restritivas foram tomadas devido o aumento no número de casos, óbitos e demandas de vagas por UTI. Além da transmissão comunitária da nova variante do Coronavírus.

Dizem os decretos que: "durante o período de que trata o caput deste artigo (sete dias) fica vedada a realização de missas, cultos,celebrações e reuniões coletivas. Exceto, atendimentos individualizados previamente agendados em organizações religiosas".

Decreto
Fica estabelecido que as atividades não essenciais, econômicas e não econômicas, terão seu funcionamento suspenso por 7 (sete) dias a partir do dia 1o de março de 2021 no âmbito do Município de Goiânia, como medida obrigatória de enfrentamento de emergência de saúde pública decorrente da pandemia da COVID-19, provocada pelo SARS-CoV-2 e suas variantes.

Na hipótese de permanência da taxa de ocupação de leitos de UTI em até 70% (setenta por cento) por 05 (cinco) dias consecutivos ou no caso de outros indicadores apresentarem a possibilidade de redução do período estabelecido no caput deste artigo, conforme análise da matriz de risco a ser apresentada pelo Comitê Metropolitano de Prevenção e Enfrentamento à COVID-19, ato do Chefe do Poder Executivo poderá alterar o referido período.

Navegadores Safari (Iphone):

Clique aqui e confira na íntegra o decreto de Goiânia:

Para outros aparelhos e navegadores: